Drenagem linfática

Drenagem linfática: esta massagem estimula a reabsorção do edema da celulite para os canais linfáticos, que são finos vasos que levam os líquidos dos tecidos para as veias. A drenagem ajuda a reabsorver a água e toxinas acumuladas no tecido subcutâneo. É um método que pode ser realizado em combinação com a mesoterapia.

O método de drenagem linfática manual foi desenvolvido em 1932 pelo terapeuta dinamarquês Vodder, que trabalhava junto com sua esposa na Riviera Francesa.

Vodder observou que a maioria de seus pacientes sofria de constipação, retenção de líquidos e apresentava os gânglios linfáticos alterados. Ele passou a tratar estes pacientes intuitivamente com massagens que estimulavam estes gânglios atingindo grandes êxitos em diversos pacientes.

Seu método foi desenvolvido e se tornou muito eficaz. Hoje em dia, a drenagem linfática manual é usada na estimulação da circulação linfática que ajuda o corpo a eliminar toxinas e a melhorar a nutrição dos tecidos.

As manobras da drenagem linfática manual são basicamente as seguintes:

  • Círculos com os dedos ou com as mãos;
  • Círculos com o polegar;
  • Movimentos combinados;
  • Pressão em bracelete.

Ação Fisiológica das Manobras de Drenagem

  • Dinamização do peristaltismo dos coletores e, conseqüentemente, aumento do ritmo natural que se prolonga por horas após a drenagem;
  • Desentupimento sistemático das vias de acesso à região afetada;
  • Solicitação máxima da reabsorção;
  • Eliminação progressiva nas principais zonas de drenagem da estase (estagnação) dos tecidos e dos resíduos tóxicos resultantes do traumatismo (pós-cirúrgico, por exemplo).

Efeitos Positivos

  • Melhor oxigenação;
  • Melhora a defesa local e ação anti-inflamatória;
  • Aumento do potencial reparador;
  • Dinamização dos processos catalisadores da cicatrização.

A drenagem linfática manual é indicada nos seguintes casos:

  • Linfedemas
  • Lipedemas (gordura localizada)
  • Lipodistrofia ginóide (celulite)
  • Fleboedemas
  • Edemas pós-operatórios e pós-traumáticos
  • Edemas cíclicos idiopáticos, pré-menstruais, intragestacionais e outros
  • Tratamento ou prevenção de diversos distúrbios, seqüelas ou doenças que envolvem as áreas de angiologia, oncologia, ortopedia e traumatologia, reumatologia, ginecologia e obstetrícia, pré e pós cirurgias, ortomolecular, stress, esporte, estética, dentre outras.
  • Pré e pós-cirurgia plástica
  • Tratamentos de revitalização facial

A drenagem linfática manual é contra-indicada nos seguintes casos:

Infecções agudas; insuficiência cardíaca descompensada; flebites; tromboses; tromboflebites; síndrome do seio carotídeo; hipertensão arterial sistêmica; certos tipos de afecções da pele; câncer, asma brônquica e bronquite asmática; hipertireoidísmo; parte do corpo inchada, dolorida, avermelhada, sensação de mal-estar.