Eletrocoagulação

Consiste na destruição de lesões com o uso do aparelho de eletrocoagulação. Este aparelho produz uma faísca elétrica que destrói o tecido pela desidratação, ruptura e carbonização das células.
O procedimento requer anestesia prévia injetável. Geralmente, associa-se a curetagem para remoção do tecido eletrocoagulado e se faz uma segunda eletrocoagulação, mais suave, para interromper o sangramento. Logo após a sua realização, fica uma crosta escura que é eliminada, gradativamente, com a cicatrização da ferida cirúrgica.