“Sarda branca”. Tem tratamento?

A leucodermia gutata, doença conhecida popularmente como sarda branca, é caracterizada por manchas claras, com tamanhos que variam de 1 a 5 milímetros e que surgem nas pernas e braços. As lesões são decorrentes do dano provocado pelo sol ao longo da vida.

Durante muito tempo foi comum ouvir dos médicos que estas manchas não tinham tratamento, sendo recomendada apenas a proteção solar para evitar maior acúmulo do dano solar, que poderia estimular o surgimento de novas lesões.

Criocirurgia com nitrogênio líquido
A medicina evoluiu e novas técnicas de tratamento de lesões cutâneas foram sendo descobertas e utilizadas para as mais diversas finalidades. Uma delas, a criocirurgia com nitrogênio líquido, mostrou bons resultados no tratamento das sardas brancas.

O procedimento é realizado no consultório, sem necessidade de anestesia, pois a dor é discreta e cessa rapidamente. O médico aplica um fino jato de spray de nitrogênio líquido, que atinge apenas a mancha e por tempo muito curto. A área tratada sofre um congelamento imediato, que provoca uma “destruição” controlada da pele afetada. Durante cerca de 30 minutos persiste uma sensação semelhante à de uma leve queimadura ou coceira. Não há necessidade de curativo.

Nos dias que se seguem, formam-se crostas (cascas) finas e escuras sobre as áreas tratadas, que levam cerca de 2 a 4 semanas para se soltarem. Quando as crostas caem, a pele que surge ainda se mostra mais clara do que a pele ao redor, dando a sensação de que o tratamento foi ineficaz.

O que ocorre é que a pele nova, que substituiu a pele manchada, é mais clara que a pele ao redor, como uma cicatriz recente de ferida superficial. No entanto, aos poucos a repigmentação se inicia. É necessário expôr a pele ao sol, antes das 10 ou após as 15 horas, para estimular a produção de melanina (pigmento que dá cor à pele). Fora destes horários, deve-se proteger a pele do sol.

Os resultados variam de acordo com cada caso, mas mesmo nos pacientes com boa resposta ao tratamento, a melhora surge de forma gradativa.
A criocirurgia com nitrogênio líquido constitui uma boa opção de tratamento para as “sardas brancas” e, desde que utilizada adequadamente, por dermatologista capacitado para o seu uso, pode atingir resultados bastante satisfatórios.